Coopercarga em busca da implantação do OEA

11/06/2018 08:43:03 Por: Jussara Acordi Loguercio

Share

     Nos dias 23 e 29 de maio foi realizado na Matriz da cooperativa um treinamento para colaboradores, cooperados e clientes, abordando os temas de Gerenciamento de Riscos Operacionais e Supply Chain Security, com Daniel Gobbi Costa, consultor da empresa Alliance. A capacitação, que faz parte do projeto para implantação do Programa Operador Econômico Autorizado (OEA) na Coopercarga, na modalidade OEA-S (Segurança - Transportadores), é uma exigência legal, conforme Instrução Normativa nº 1.598 de 09 de dezembro de 2015 e suas atualizações – publicada pela Receita Federal do Brasil, e visa garantir a conformidade aduaneira e a segurança das operações na cadeia logística das atividades de comércio exterior.

     A implantação do programa OEA teve início ainda no mês de abril e fazem parte do escopo as unidades que atuam nas operações Porta Contêineres e Mercosul. Para a Coopercarga, o objetivo da adesão é fazer parte do rol das empresas certificadas como Operador Econômico Autorizado e receber o reconhecimento do mercado internacional como empresa confiável e parceiro preferencial pela Aduana. De acordo com o líder de projetos, Leandro Piola, “essa certificação, além de ser estratégica para o nosso negócio, é sem dúvida um diferencial competitivo, nos elevando a outro patamar com relação às operações de comércio exterior”.

     Os próximos passos para a efetivação da Coopercarga como empresa certificada OEA estão relacionados às adequações de alguns processos e procedimentos internos conforme exigências do programa. “O objetivo é que até o mês de julho estejamos atendendo a todos os requisitos de admissibilidade, bem como critérios de elegibilidade, para protocolarmos o pedido de certificação na Receita Federal”, destacou Leandro.

 

Sobre o OEA

 

     Este programa Operador Econômico Autorizado é de adesão voluntária e tem como objetivo, até 2019, atingir a meta de 50% (cinquenta por cento) das movimentações de exportação e importação registradas no Brasil por empresas certificadas OEA. Ele consiste na verificação e validação das empresas que representam baixo grau de risco para suas operações, tanto em termos de segurança dos processos quanto em conformidade ou cumprimento de suas obrigações aduaneiras.